Serviço de Medicina Hiperbárica

Inaugurada em setembro de 2011, a Medicina Hiperbárica atende clientes externos e internados dos hospitais da Fundação Padre Albino.

A oxigenoterapia hiperbárica é um método terapêutico reconhecido no Brasil pelos órgãos competentes, encontra-se regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina desde 1995, através da Resolução nº 1.457. Essa regulamentação define quais são as doenças tratadas por meio deste método. As principais indicações são os envenenamentos por monóxido de carbono e cianeto (fumaça), embolias gasosas arteriais, infecções e inflamação dos tecidos, isquemias, enxertos e retalhos de risco, trauma de tecidos, síndromes compartimentais, lesões actínicas e infecções ósseas. Os efeitos da intervenção são mecânicos e biológicos; em resumo, a terapia acelera o tratamento das infecções (efeito bactericida e sinérgico com antibióticos), reduz os edemas, angiogênese e osteogênese e aumenta a formação do colágeno e fibroblastos.

A câmara hiperbárica é um equipamento de parede sólida, resistente à pressão, geralmente de formato cilíndrico, construído de aço ou acrílico, com janelas que permitem a visualização externa e interna. O cliente utiliza-se de oxigênio puro (100%), sob uma pressão correspondente de aproximadamente 10 a 20 metros de profundidade no mar. Dentro desse equipamento, o paciente fica em constante contato com a equipe, podendo assistir televisão e se movimentar dentro dos limites físicos do mesmo. Cada sessão dura em torno de duas horas.

Contato: (17) 3311-3200 - ramal 3382.