Medicina comemora 50 anos e faz homenagens

Postado em: 19/09/2019

             O curso de Medicina/FAMECA da UNIFIPA realizou neste dia 18 de setembro, a partir das 20h30, no Teatro Municipal Aniz Pachá, a solenidade oficial de comemoração dos seus 50 anos com muitas homenagens.

            Na abertura da solenidade, o reitor da UNIFIPA, Dr. Nelson Jimenes, falou da importância daquela solenidade e deu crédito a todos os que fizeram a FAMECA chegar até aquele momento: Padre Albino, conselheiros, diretores, professores, alunos e funcionários. E deu destaque ao último de seus créditos ao cadáver, instrumento de ensino dos alunos, com a frase que ilustra o Laboratório de Anatomia: “Este é o lugar onde a morte se rejubila em socorrer a vida”.

            O coordenador do curso de Medicina, Dr. Jorge Valiatti, destacou a figura de Padre Albino e seu trabalho para instalação da faculdade, a mudança para o prédio do Hospital Emílio Carlos, entre tantas conquistas. “Desde o começo a FAMECA buscou o melhor para seus alunos e acho que isso está claramente demonstrado pela qualidade de seus egressos”, ressaltou, lembrando que ela destaca-se entre as doze escolas paulistas melhor avaliadas. Por fim, agradeceu aos professores, alunos e funcionários e falou do enorme respeito que tem pelos conselheiros da Fundação, “que dedicam parte do seu tempo, de maneira voluntária, a manter o legado do Monsenhor Albino”. Até o final deste ano o curso terá formado 2.866 médicos. Também falaram sobre o curso e a importância daquele momento a Profa. Dra. Irene Abramovich, membro dos Conselhos Estadual e Federal de Medicina, e o Prof. Dr. Júlio César André, representante da ABEM – Associação Brasileira de Educação Médica.

            Em seguida foram feitas homenagens pelo trabalho como diretores da FAMECA ao Dr. Michel Curi (in memorian), representado pelo irmão, Prof. Waldemar Curi; Prof. Aulo Augusto Caetano de Mello; Prof. Dr. Carlos Elysio Castro Corrêa; Prof. Sleman Soubhia (in memorian), representado pela esposa Maria Lúcia Bonini Soubhia; Prof. Dr. Ricardo Santaella Rosa; Prof. Pedro Enzo Macchione; Prof. Eduardo Carlos da Silveira Mendes Jr. e Prof. Dr. José Alves de Freitas. Todos receberam troféu.

            Também foram homenageados com troféus os professores e funcionários com mais de 40 anos dedicados à faculdade, entregues pelo Dr. Valiatti. Os professores foram Prof. Waldemar Curi, 49 anos; Prof. Dr. Izídio Pimenta de Morais, 47 anos; Prof. Dr. Carlos Elysio Castro Corrêa, 46 anos; Prof. Oswaldo Devito, 46 anos; Prof. Sidney Moreno Gil, 46 anos; Prof. José Celso Assef, 43 anos e Prof. Sérgio Rebelato, 42 anos. O Prof. Sidnei Stuchi, 44 anos; Fátima Aparecida Ferreira, 43 anos, e Tânia Regina Bortolozzo Menegoli, 41 anos, foram os funcionários homenageados. O reitor Dr. Nelson Jimenes entregou o troféu ao Prof. Dr. Jorge Valiatti pela sua dedicação na coordenação do curso de Medicina. O projeto de responsabilidade social “Sala Extra”, idealizado e coordenado pelos alunos, também foi homenageado.

            A mesa principal foi composta pelo Dr. José Carlos Rodrigues Amarante, presidente da Diretoria Administrativa da Fundação Padre Albino; Dr. Nelson Jimenes, reitor da UNIFIPA; Prof. Dr. Antonio Carlos Araújo, pró-reitor Acadêmico e de Graduação da UNIFIPA; Prof. Dr. Jorge Luís dos Santos Valiatti, coordenador do curso de Medicina; vereador Luís Pereira, presidente da Câmara Municipal; D. Valdir Mamede, Bispo da Diocese; Prof. Dr. José Luís Gomes do Amaral, presidente da Associação Paulista de Medicina; Profa. Dra. Irene Abramovich, membro dos Conselhos Estadual e Federal de Medicina; Prof. Dr. Júlio César André, representante da ABEM – Associação Brasileira de Educação Médica e a acadêmica Lia Curvelo Rolim Rodrigues, presidente do Centro Acadêmico Emílio Ribas – CAER.

            A peça teatral “Padre Albino: legado para uma cidade”, encenada pela Cia da Casa Amarela, de Catanduva, encerrou a solenidade.

 

           

 

 

 

 

 

 


Galeria