Contamos com a colaboração de todos

"Desejo, com toda sinceridade, morrer inteiramente pobre, sem dinheiro, sem bens, sem dívidas e sem pecado". (Padre Albino)

Fui designado pelo Conselho de Administração, com referendo unânime da Assembleia Geral de Curadores, para uma importante missão dentro da Fundação Padre Albino, dentre outras providências: dirigir e coordenar os trabalhos, já iniciados, visando equilibrar o resultado operacional e reestruturar a governança corporativa no âmbito do Departamento de Saúde, que engloba os hospitais Emílio Carlos e Padre Albino e o Padre Albino Saúde.

Apesar do prazo relativamente curto – até 31/03/2013 – a tarefa não será das mais fáceis. Como é de conhecimento geral, hoje todas as Santas Casas (hospitais filantrópicos) que prestam serviços para o SUS (Sistema Único de Saúde) passam por sérias dificuldades em razão da baixa remuneração, cuja tabela não é reajustada há anos.

Segundo recente levantamento feito pela CMB (Confederação das Santas Casas de Misericórdia e Entidades Filantrópicas) de cada R$ 100,00 gastos pelos hospitais filantrópicos somente R$ 65,00 são reembolsados pelo SUS. Isto gera um desequilíbrio muito grande nas finanças das Santas Casas, que necessariamente têm que tirar do próprio bolso para fechar suas contas.

A repetição desses déficits por anos seguidos acaba por colocar em risco a prestação dos serviços e exige ações imediatas dos gestores. Por isso o Conselho de Administração agiu com a devida presteza e prudência ao contratar a renomada empresa de consultoria KPMG, visando sanar o problema no menor prazo possível.

A troca de Diretoria, portanto, decorre inexoravelmente das primeiras ações em busca da governança corporativa, como forma de facilitar a implementação das demais ações que virão com o planejamento estratégico já em curso.

A Fundação Padre Albino sempre foi, é e será uma instituição séria e comprometida com a sua missão de promover assistência à saúde de forma humanizada, com ênfase na média e alta complexidade, desenvolvendo o ensino e pesquisa com sustentabilidade.

Nunca é demais lembrar que seus gestores são pessoas oriundas da sociedade, que nada recebem pelo seu trabalho abnegado, altruístico e muitas vezes com o sacrifício da própria convivência familiar, em favor dos cidadãos de toda uma região.

É natural que empresas que atingiram o porte e complexidade da Fundação Padre Albino, especialmente aquelas que prestam serviços na área de saúde, enfrentem vez por outra situações adversas. Mas nós gestores, mesmo sendo voluntários, não podemos temer esses desafios que se nos impõe. Ao contrário, ficamos estimulados a enfrentá-los e vencê-los, pois sabemos o que isto pode significar para a população de toda uma região, especialmente os mais necessitados.

É certo que muitas vezes não conseguimos reverter a situação sem a ajuda de profissionais competentes e treinados para tanto. Contudo, tudo isto não trará os resultados esperados se não pudermos contar com o efetivo engajamento dos nossos colaboradores e da população em geral para vencermos mais este desafio que, tenho certeza, venceremos com a ajuda de Monsenhor Albino, para que possamos dar conta da causa que ele mesmo nos legou.

Dr. José Carlos Rodrigues Amarante

Presidente da Diretoria Administrativa

Sair