UM PADRE NOSSO

Ainda existe somente Deus para proteger o homem do próprio homem. Ou iremos servi-lo em espírito e em verdade ou deveremos escravizar a nós mesmos incessantemente, cada vez mais, em benefício do ídolo monstruoso que construímos com nossas próprias mãos à nossa imagem e semelhança. Étienne Gilson.

Num mundo como o que vivemos hoje, em que os valores sociais, morais e mesmo individuais são efêmeros e volúveis e que a intelectualidade chama de moderno - valores relativizados, irreprimíveis e irrepreensíveis em favor de uma liberdade ampla, irrestrita e sem limites como justificativa para a tão sonhada felicidade do ser humano - é gratificante para nós, fiéis católicos, podermos comemorar um jubileu de ouro de ordenação sacerdotal.
Esta mesma sociedade nos coloca um pesado fardo nos ombros, responsabilizando-nos por uma transição de um mundo de valores extremamente conservadores – o que não impediu grandes crimes contra a humanidade – para um mundo melhor aos nossos descendentes, onde reine a paz, a harmonia e o respeito pelo indivíduo e pela coletividade, com valores verdadeiramente cristãos.
Não está sendo fácil manter o equilíbrio entre os valores e contravalores, estes na maioria das vezes emitidos por pessoas que não acreditam em nada, possivelmente nem em si mesmos. Que dirá em Deus! Pois bem. No meio disso tudo, temos a grata satisfação de poder comemorar junto com nosso colega conselheiro Padre Sylvio Fernando Ferreira, seu jubileu de ouro de ordenação sacerdotal (29/06/2014).
Vindo para Catanduva pouco tempo depois de sua ordenação sacerdotal, tinha uma difícil – quase impossível – missão de substituir um homem admirado e venerado por todos, Monsenhor Albino, grande filantropo e visionário de uma sociedade justa e equânime, com especial atenção aos pobres e carentes. Superou todos os obstáculos porque, além de vocacionado, conservou os verdadeiros valores cristãos e também porque não cedeu às tentações de modernizar-se além do que seria razoável, como certamente muitas vezes lhe foi cobrado. Sua postura firme na fé e na obediência à Igreja (servi-lo em espírito e em verdade) como homem e como presbítero, às vezes até mesmo intransigente, se por um lado incomodou alguns, por outro lhe garantiu a admiração e o respeito de muitos. Por isso comemora seus cinquenta anos de sacerdócio tendo vivenciado quarenta e cinco deles exatamente no mesmo lugar onde tomou posse no dia 1º de janeiro de 1969: na Igreja Matriz de São Domingos de Gusmão.
A Fundação Padre Albino - que atualmente represento e através da qual todos nós, voluntários, podemos exprimir nosso singelo, porém efetivo amor ao próximo -, sente-se orgulhosa e agradecida por tê-lo em seu quadro de conselheiros curadores, no qual ingressou em 28 de abril de 1978, tendo assumido diversas responsabilidades estatutárias ao longo desses anos todos. Viveu, ao lado dos demais conselheiros – particularmente junto com o Padre Synval Januário, Conselheiro Honorário -, várias fases da vida institucional da Fundação, a maioria delas de muitas dificuldades, sem jamais arredar o pé nem deixar ao desamparo a população carente que tinha (e ainda tem) nos hospitais da Fundação o único socorro com que podia contar, a exemplo de Monsenhor Albino. Apoia-nos, nesse mister, para que possamos dar continuidade ao principal legado de Padre Albino em Catanduva, embora saibamos que outras obras dele aqui também lutam com dificuldade para se manterem abertas e assistindo à população carente.
Em nome da Diretoria Administrativa quero dizer que nos sentimos honrados em poder congratular com Padre Sylvio neste jubiloso momento, não só pela data festiva, mas principalmente pelo exemplo de fé e perseverança que transmite a todos, em especial para a nossa juventude, que embora caminhe inexoravelmente para a modernidade, leva consigo este exemplo de valores cristãos bem vividos, que servirão de base para a nova e justa sociedade que almejamos. Muito embora não tenha terminado sua missão, pode, até aqui, repetir São Paulo dizendo: “combati o bom combate, terminei minha corrida, conservei a fé”. (2Tm 4,7)
PARABÉNS PADRE SYLVIO!
José Carlos Rodrigues Amarante
Presidente da Diretoria Administrativa

Sair