Radioterapia – reta final

Nos dias atuais, acostumados que estamos com a impressionante velocidade das informações (inclusive das desinformações pelas fakenews) não é muito fácil admitir-se atrasos; qualquer atraso. No caso da radioterapia, projeto de tratamento oncológico completo a ser proporcionado pela Fundação Padre Albino aos pacientes com câncer da região, se tornou angustiante.
Iniciadas as tratativas em 200,9 a construção do prédio só teve início em 2013, após longas negociações para liberação de recursos públicos nas esferas federal e estadual. A efetivação da compra do acelerador linear de partículas ocorreu em março de 2017, com previsão de entrega em seis meses. Decorreram quatorze meses para que finalmente aportasse em Catanduva. Exceto alguns pequenos detalhes, a maior parte desse atraso decorreu da burocracia. Como bem disse um ex-ministro, “ou o Brasil acaba com a burocracia, ou a burocracia acaba com o Brasil”.
O importante é que mesmo com todo esse atraso, o equipamento chegou e as instalações estão prontas para recebê-lo. Estamos agora na reta final para a entrada em funcionamento da radioterapia, procedimento fundamental em grande parte de tratamentos cancerígenos.
Algumas pessoas podem ter achado exagero a carreata promovida pelo HCC para anunciar a chegada do aparelho de radioterapia. Não foi. Entre tantos projetos que a Fundação vem desenvolvendo ao longo dos últimos anos, esse é, sem dúvida, o principal deles e o que mais profundamente vai beneficiar a população local.
Iniciado, como disse, no ano de 2009, criou-se grande expectativa em toda a população. Por isso resolvemos lançar, em 2016, uma campanha de arrecadação de recursos visando agilizar o projeto, independentemente dos escassos recursos públicos. A população respondeu de forma surpreendente e atingimos R$ 4.0 milhões em abril deste ano. O atraso no recebimento do aparelho e a entrega definitiva do serviço arrefeceu um pouco a campanha, pois quem doa quer ver o resultado de sua doação. Assim, era fundamental que déssemos uma resposta tão imediata quanto possível aos doadores e também para aquelas pessoas que ainda duvidam da concretização do projeto. A carreata atingiu plenamente esse objetivo e hoje praticamente não tem quem não saiba que o aparelho já se encontra no HCC, pronto para iniciar sua instalação.
Claro que ainda falta um bom trecho a ser percorrido até sua entrada em funcionamento, mas agora é a reta final. Os principais obstáculos foram vencidos e redobraremos nossos esforços para que não haja mais atrasos. Infelizmente não depende só de nós. Por isso continuamos contando com a ajuda de todos e contamos sempre com umaajudazinha de Padre Albino. Nosso objetivo é colocá-lo em funcionamento até o final do ano, embora saibamos que imprevistos ainda podem acontecer.
Num país em que o câncer figura como a principal causa de morte em 516 dos 5.570 municípios brasileiros (80% deles no Sul e Sudeste), segundo pesquisa divulgada pelo Observatório de Oncologia do movimento Todos Juntos Contra o Câncer, em parceria com o Conselho Federal de Medicina, a iniciativa da Fundação Padre Albino mostra-se em perfeita consonância com as necessidades atuais e prementes da população local e regional. O estudo mostra ainda que em 2015 foram registradas 209.780 mortes por câncer no Brasil, um aumento de 90% em relação a 1998. O crescimento das mortes por neoplasias foi quase três vezes mais rápido que o crescimento dos óbitos provocados por infartos ou derrames.
Dados da Organização Mundial da Saúde indicam que, em todo o planeta, o câncer é responsável por 8,2 milhões de mortes todos os anos. Cerca de 14 milhões de novos casos são registrados anualmente e a previsão da entidade é que as notificações devam subir até 70% nas próximas décadas.Disso decorrem duas importantes ações no combate a câncer: a prevenção e o tratamento no tempo adequado e o mais próximo possível do paciente. Não foi outro o motivo que levou as subsequentes administrações da Fundação Padre Albino a assumirem mais esta responsabilidade e buscarem proporcionar um lenitivo ao paciente e sua família nessa lutanem sempre exitosa.
A ajuda de todos continua ser fundamental. No que depender da Fundação Padre Albino, continuaremos não medindo esforços para que o projeto se concretize dentro do menor tempo possível.

José Carlos Rodrigues Amarante
Presidente da Diretoria Administrativa da
Fundação Padre Albino (Catanduva/SP)

Sair